Go to Top

FESTA DE PURIM

purim

A tradição criada em decorrência da história do livro de Ester é guardada por judeus de todo o mundo há mais de 2000 anos através da Festa de Purim (Et 9:27 e 28).
Mordechai, primo de Ester, dotado de autoridade real, ordenou que fosse celebrada ao longo das gerações do povo judeu a Festa de Purim (Pur=sorte), nos dias 14 e 15 do mês de Adar, como constante recordação do grande livramento que tiveram os judeus das mãos do malvado Hamân (Hamã). Por isso, a festa de Purim é celebrada por judeus de todo o mundo, até os dias de hoje.

Podemos extrair do Livro de Ester grandes princípios e exemplos para nossas vidas. Vemos, ao longo da história, que D-us está no controle de nossos destinos, e que Ele sempre se apresenta como El Yeshuá, ou seja, o D-us que salva, disposto a ouvir as orações dos seus servos quando em situações impossíveis de serem resolvidas aos olhos dos humanos.

Vemos também a sabedoria de Ester e de seu primo Mordechai, os quais souberam fazer uso de sua posição e status para abençoar a muitos. Além disso, o livro de Ester nos mostra que muitas vezes devemos lutar para obter a vitória assim como fizeram os judeus habitantes da Babilônia, e não apenas nos acomodarmos “esperando” um milagre. Como diz o velho ditado judaico: “creia nos milagres, mas não dependa deles”!
Purim é a festa do livramento, da mudança de sorte, da oração respondida, da vitória do povo de Deus sobre o decreto do inimigo. A vitória nos foi garantida, pois Jesus venceu por nós. Não conheceremos a derrota, porque o Senhor mudou a nossa sorte, mudou o nosso lamento em danças e nos fez celebrar em Sua presença, porque na casa do Senhor há fartura de alegria. Esta é a sorte trocada.

Purim é livramento de morte. Não seremos visitados pela morte. Deus está mudando a sua sorte; Deus está liberando bênçãos sobre a sua vida. O Senhor é o Pai de toda bênção. Toda vez que nos apresentamos diante de Deus, saímos abençoados. Faz parte do caráter de Deus dar presentes; Ele é galardoador. “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo…” (Efésios 1:3)

Purim fala de resgate. Nela nós dizemos ao inimigo que nenhum decreto contrário à Palavra de Deus se cumprirá em nossa vida, porque temos um Rei que cuida de nós. O Senhor resgatará a nossa sorte e, na Sua presença, somos mais do que vencedores. É tempo de resgate!

Purim é a celebração da vida, porque havia um decreto de morte, porque eles lamentaram quase um mês chorando e Deus deu o livramento. Em Purim, todos que protestaram contra a visão de Deus, morreram.

Purim é o retorno à promessa, à palavra e ao compromisso. Todos foram para a praça ouvir sobre a Palavra, foram ouvir sobre o livro de Deus e o que Ele falava. Muitos naquele dia se converteram. Jesus é a Palavra Viva e quem dele come e bebe, por ele vive. Se está vivendo outra vida, ainda não comeu nem bebeu dEle. É o momento de regressar aos Princípios de Deus. Festa de Purim é retorno à Palavra e ao compromisso, vivendo o compromisso de Deus, porque muitos estão na Igreja descompromissados.

Purim fala de libertação. Somos livres! Os decretos do inimigo sobre nós não existem mais, e agora podemos dizer: nossa sorte foi mudada e nosso lamento foi transformado em dança.

Font: Ensinando de Sião / Mir 12/ Adaptação Redação MABG Comunicação e Design