Go to Top

FESTA DOS TABERNÁCULOS

tabernaculos

Para entendermos o que significa Tabernáculos, devemos antes entender o que significa princípios de restauração. Tabernáculos é uma linguagem de restauração, é uma chamada de mudança plena. Além de ser uma linguagem de nível profético, é uma linguagem de nível espiritual, partindo do coração de Deus.

Tabernáculos é a festa dos segredos do coração de Deus. Nem todos têm Tabernáculos. Muitos acreditam que, para ser evangélico, para ser cristão, a Páscoa basta, porque Jesus é o Cordeiro Pascal. Porém, para andar à luz da revelação que Deus tem trazido à nossa geração, uma geração de conquista, precisamos de entendimento ampliado acerca das três festas fixas do Senhor: Páscoa, Pentecostes e Tabernáculos.

A Páscoa ou Pessach é a festa que aponta para o Cordeiro, para Yeshua, para Jesus, o Redentor e Conquistador de todas as nações da Terra. A mensagem da Páscoa arranca o homem do lamaçal do pecado e o devolve para o Reino de Deus. Jesus morreu e ressuscitou. Essa é a tônica da Páscoa.

Em Pentecostes ou Shavuot, celebramos as primícias. É uma festa de inauguração profética, é um ponto de partida. É entregar a Deus os primeiros frutos na certeza de que teremos provisão para todo o ano. No Novo Testamento, vemos que em plena Festa de Pentecostes, houve a liberação do poder sobrenatural do Espírito Santo. Foi exatamente 50 dias após a celebração da Páscoa. Ali, a terra entregava aos céus os primeiros frutos da semeadura que Jesus fez na terra quando entregou Sua própria vida como grão de trigo que precisa morrer para frutificar.

Quem tem Páscoa não significa que tenha Pentecoste, mas quem tem Pentecostes, certamente, já tem Páscoa, porque ninguém pode ser batizado no Espírito Santo, receber poder, sem ter passado pela graça salvífica em Jesus.

Quem passa pela obra da redenção, está no primeiro degrau da revelação, mas há outros degraus para serem galgados. O degrau seguinte é Pentecostes, poder do Espírito Santo. Mas há o terceiro degrau, a Festa dos Tabernáculos.

A Festa dos Tabernáculos é a festa do Messias, a festa que trará de volta o Messias, portanto devemos celebrar essa Festa que é estatuto perpétuo. O Natal faz ressuscitar Noel, a Festa dos Solstícios, o marketing comercial, mas nunca trará de volta o Messias.

A Festa dos Tabernáculos ou a Festa das Colheitas, como também é conhecida, foi instituída por Deus. É estatuto perpétuo por todas as gerações, como podemos comprovar através da Palavra (Dt 16; Lv 23; Zc 14).

Tabernáculos é uma festa de grande alegria. Um tempo para celebrar diante do Pai por todas as bênçãos recebidas, pelos frutos colhidos. Deus quer que aprendamos a entrar na Sua alegria, pois nós somos salvos e essa salvação é pela graça. Graça, no grego, karis, quer dizer alegria. No hebraico, roni, quer dizer, danças e celebração pela libertação.

A Palavra de Deus nos ensina que o Filho do Homem Se manifestou para nos dar vida em abundância e para que Sua alegria seja completa em nós (Joao 10:10 e 17:13). Alegria completa é aquela que preenche o nível do espírito, da alma e do corpo.

A Páscoa nos leva a um choro e um pranto: Jesus morreu. Mas, logo em seguida, vem a alegria: Jesus ressuscitou! Vem, também, a alegria de Pentecostes: o poder do Espírito Santo. Em Tabernáculos, celebramos a alegria do retorno do Messias, celebramos a parousia, a certeza de que o Verbo Vivo de Deus que Se tabernaculou em nosso meio cumprirá a promessa de que voltará para arrebatar Sua Noiva, a Igreja.

Fonte: www.mir12.com.br